Na semana da mulher, o Portal Itnet homenageia cinco Itabaianenses de poder, que lutam dia a dia pelo seu espaço e brilham no que fazem!

Por Taís Cristina, jornalista

Muitas vezes, a vida nos prega peças e provações, que em determinado momento não entendemos, nos questionamos, mas ao fim, tiramos alguma lição e aprendizado.

Jussane passou por isso muitas vezes. Primeiro, quando perdeu a sua filha bebê, em 2006 e depois, quando enfrentou o câncer, duas vezes.

Com um sorriso no rosto, fé e esperança no coração, ela nunca desistiu da vida, porque sabe que isso é o que temos de mais precioso.

QUEM É JUSSANE:

Jussane Teles, ou Sane, como é carinhosamente conhecida pelos mais próximos é professora de geografia há 25 anos. Ela ensina no Colégio Estadual Murilo Braga (CEMB), é filha, amiga dos seus alunos, esposa, mãe de dois filhos [e como ela diz, tem um garoto de 11 e uma filha “do outro lado da vida”].

Ela nasceu em São Miguel do Aleixo, mas veio morar em Itabaiana aos 13 anos, para poder estudar, tornando-se então, uma ceboleira de coração.

MULHER DE PODER:

Jussane é uma mulher de poder porque sempre enfrentou as dificuldades impostas em sua vida. Ela foi diagnosticada com um câncer de mama em 2013 e operada no início de 2014. Ao longo da doença, ela fez tratamento quimioterápico e radioterápico.

Um ano depois foi diagnosticada com um sarcoma raro numa costela. “Esse foi o segundo momento mais difícil, pois um câncer já é traumático, imagine dois”, conta.

No caso do segundo câncer, ela também passou por um procedimento cirúrgico e tem gratidão pela equipe médica que te atendeu, em ambos os momentos.

-Enfrentei a doença com fé e esperança para poder acompanhar meu filho, que na época tinha cinco anos. E viver era preciso, acreditar na cura, mesmo sabendo da baixa expectativa de vida após um câncer. Tive o privilégio de ter minha família, que foi a base de tudo. Muitos amigos que oraram por mim e me visitavam dando forças, trazendo livros, mensagens de esperança.

Durante o tratamento, Jussane passou um período num hospital em Arapiraca (AL), onde fazia as sessões de radioterapia. Lá ela conheceu muitas pessoas, que tinham histórias semelhantes com a sua, fez amigos, viu alguns partir… e mantém contato até hoje, com pacientes que, assim como ela, “viveram de novo”.

-O aprendizado é não desistir. É acreditar que chegar ao final do tratamento é a esperança de uma nova vida. Chegar à última etapa da quimioterapia é sentir uma nova vida.

E o aprendizado que eu deixo, principalmente para as mulheres é não desistir, mesmo com a queda dos cabelos. Isso não é o fracasso. No meu caso, a careca não foi problema. Eu encarei de forma tranquila.

A nossa beleza verdadeira é a da alma. E passar pelo câncer, ser curada, é a dádiva de rever aquilo que precisamos mudar e entender que vai passar. Passa! Com dor, com angústias, mas com fé!

Jussane é a prova disso, a prova de que não podemos desistir das nossas oportunidades, e principalmente, da vida.

MULHERES DE PODER E A PANDEMIA:

A pandemia trouxe reviravolta na vida de todos, e no caso de Jussane, que é professora foi também bastante complicado.

Como professora, ela precisou se adaptar às aulas remotas, a não ter o contato direto com os seus alunos, até mesmo com os professores, colegas de trabalho.

Como ser humano, ela conta que a pandemia foi e está sendo um período de muita ansiedade, mas também um momento de repensar sobre a vida e agradecimento.

ORGULHO DE SER MULHER [DE PODER]:

-Tenho muito orgulho de poder ser exemplo de superação na luta contra o câncer. Não desisti e voltei às minhas atividades, em sala de aula, mesmo com algumas limitações físicas. É bom mostrar que a gente pode vencer uma batalha contra o câncer!

Que a história de Jussane sirva de inspiração para outras mulheres e para tantas outras pessoas que pensam em desistir de viver, enquanto muita gente luta pela vida. Viva, viva sempre! Viver é um presente!